sábado, 5 de Abril de 2014

Acreditar no bem



Cada vez mais me parece que o segredo da felicidade está em "acreditar no bem". Não o digo de uma forma naif,como se o percurso de alguém altruísta ou optimista fosse mágico e sem inquietações ou crises existenciais. Digo-o de uma forma quase metódica: dever-nos-íamos treinar para acreditar no bem e perceber que, quando a ideia de "mal" se sobrepõe à nossa crença no "bem", temos que parar para re-educar o olhar.
E este vídeo vem mesmo a calhar na minha reflexão pessoal desta semana, no sentido em que resume, de uma forma romantizada, é certo, que a felicidade pode ser vivida através da simplicidade dos gestos de bondade.
E, depois de uma semana de quaresma em que centrei a minha reflexão cristã no evangelho da cura do cego de nascença, urge renovar o olhar, "tornar a ver"/"re-ver" o mundo e perceber que a nossa acção pode acrescentar beleza - mais do que isso - a nossa vida pode ser um *"lugar de beleza".

* expressão usada pelo Papa Bento XVI, que pessoalmente adoro!

quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013

A arte de viver no entretanto

fabioapereira@set13


"Todos conhecem a passagem de Saint-Exupery onde a Raposa se zanga com o Principezinho por ele ter chegado cedo demais, e assim não lhe ter dado tempo para um adequado “vestir o coração”. Essa é a mesma razão que leva a que este “tempo de espera” seja importante, pois é preciso tempo para arrumar a “casa interior”, e para alimentar o desejo de que o “Príncipe da Paz” nos traga a serenidade e a harmonia, a alegria e a atenção ao essencial que tantas vezes nos parece faltar."

Filipe Martins, sj - [A arte de viver no entretanto]

domingo, 29 de Setembro de 2013

quarta-feira, 11 de Setembro de 2013

Tudo é real e tudo está certo

fabioapereira@jun 2013

Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.

Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma

Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.

Alberto Caeiro

sexta-feira, 16 de Agosto de 2013

Sairmos de nós

fabioapereira@jul 2013

«Só há um modo de escapar de um lugar: é sairmos de nós.
Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém».
Mia Couto, In «A Confissão da Leoa»

sexta-feira, 19 de Julho de 2013

Linhas tortas

"Não sou o dono do mundo, mas sou um filho do dono
Do verdadeiro Patrão, do verdadeiro Patrono."

Linhas tortas - Gabriel, o Pensador